Nova lua de Júpiter é descoberta por astrônoma amadora

A descoberta da astrônoma amadora pode aumentar o número de luas de Júpiter para 80, do maior planeta do Sistema Solar.

A busca da astrônoma amadora, Kay Ly foi um desdobramento de sua identificação anterior de imagens de pré-recuperação de luas Jovianas recentemente descobertas, incluindo Valetudo, Ersa e Pandia, enquanto examinava dados obtidos em 2003 com o Telescópio Canadá-França-Havaí de 3,6 metros (CFHT).

No início de junho, ela começou a examinar imagens tiradas em fevereiro de 2003, quando Júpiter estava em oposição e suas luas eram mais brilhantes.

Ly não conseguiu recuperar duas das luas potenciais em outras noites, mas encontrou a terceira, temporariamente designada como EJc0061, em observações de pesquisa em 25 a 27 de fevereiro e em imagens tiradas com o telescópio Subaru em 5 e 6 de fevereiro.

Ela, portanto, tinha informações suficientes para rastrear a órbita da lua em imagens de pesquisa de 12 de março a 30 de abril.

Os dados rastreiam a lua – provisoriamente designada S/2003 J 24 com publicação pendente – por quase oito órbitas de 1,9 anos de Júpiter, diz David Tholen (Universidade do Havaí), mais do que o suficiente para mostrar que é uma lua.

Essa possível lua é apenas um membro típico do grupo retrógrado Carme, que inclui 22 outras pequenas luas orbitando Júpiter na direção oposta de seu spin, com períodos de cerca de dois anos.

Suas órbitas são semelhantes o suficiente para sugerir que foram todos fragmentos de um único impacto. Eles são provavelmente chips de Carme, o primeiro do grupo a ser descoberto e com 45 quilômetros de diâmetro, de longe o maior.

Essas pequenas luas Jovianas retrógradas podem ter muitas companhias aguardando serem descobertas. No ano passado, Edward Ashton, Matthew Beaudoin e Brett J. Gladman (University of British Columbia, Canadá) avistaram cerca de quatro dúzias de objetos tão pequenos quanto 800 metros de diâmetro que pareciam orbitar Júpiter.

Eles não os seguiram por tempo suficiente para provar que os objetos eram luas de Júpiter, mas a partir de suas observações preliminares, eles sugeriram que Júpiter poderia ter cerca de 600 satélites com pelo menos 800 metros de diâmetro. O desenvolvimento de telescópios maiores e mais sensíveis criará espaço para novas descobertas, diz Tholen.

Júpiter tem 79 luas reconhecidas pelo Minor Planet Center da União Astronômica Internacional, e eles esperam encontrar mais, mas com mais dados do que podem processar sozinhos a partir das observações de fevereiro de 2003, eles decidiram publicar seus resultados para aumentar o interesse.

Fonte: skyandtelescope

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais lidas

Recentes